TALENTO

Outro dia em um mural de uma empresa, eu vi um enunciado que dizia algo mais ou menos assim:

Não percam nossa noite de Talentos!

Não é difícil imaginar que tipo de evento é esse, um encontro onde pessoas irão demonstrar suas habilidades nas mais diversas áreas.

Na atualidade, se você procurar nos canais de TV, aberta ou fechada, rapidamente encontrará programas de reality show, que exploram os talentos diversos de anônimos buscando a fama ou simplesmente aumentar os dígitos de suas contas bancárias.

A palavra talento deriva do latim “talentum” e do grego: “talanton”.

Ambas significam uma escala de medida de valor;

Nos primórdios a palavra muitas vezes se confundia como se significasse uma moeda, mas servia como medida de peso para o ouro e a prata, algo entre 25 e 33 kgs.

Há uma passagem bíblica muito famosa chamada de “Parábola dos talentos!”, esta no evangelho de Mateus, capitulo 25, dos versos 15 ao 30.

Historiadores afirmam que após a “Parábola dos Talentos” esta palavra passou a ter um outro significado:

O significado de inclinação natural de uma pessoa para realizar determinada atividade. Um dom natural ou adquirido, uma inteligência excepcional.

No texto bíblico, diz que haviam 03 pessoas que receberam quantidades diferentes de “talento”.

Enfatizando que cada pessoa recebeu de acordo com sua capacidade.

E diz que uma dessas pessoas, literalmente, enterrou o talento que tinha.

Gostaria de lhe convidar a refletir sobre esta questão!

Você julga ter algum talento?

Você reconhece que tem habilidades que outras pessoas não tem?

Trazendo isto para nossa realidade:

Se nós temos algum talento é por que temos capacidade para executá-lo.

Na parábola dos talentos uma das pessoas literalmente enterrou o talento que tinha.

Baseado nesta reflexão

  1. O que você esta fazendo com o talento que tem?
  2. Você já parou para pensar, quê em algum lugar, o seu talento seria de extrema necessidade?

Mais importante do que “ter” é o uso que fazemos daquilo que temos!